Social Icons

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Goodbye my idols!



Hoje estou triste! Foram-se de repente dois dos meus maiores ídolos, dois marcos da minha adolescência e sinto que perdi qualquer coisa. É uma sensação estranha, nem sequer sabem da minha existência, mas proporcionaram-me momentos fantásticos, sonhos de adolescente que nunca mais serão esquecidos.

Farrah Fawcett, na altura da minha paixão por ela era a Farrah Fawcett-Majors, pois era a mulher do Lee Majors, o Six Million Dollar Man, lembrm-se? Tinha uma paixão tão grande por ela que não perdia um episódio de Charlie´s Angel´s, nem saía com os amigos só para a ver, tirava fotografias à televisão e tinha um scrapbook com todas as fotos que recortava das revistas, mandava vir ´posters´ dos estados unidos para por no meu quarto, t-shirts com as fotos dela, lia livros, revistas tudo que tinha haver com a Farrah, só nunca quis ser como ela porque estava consciente que eramos muito diferentes, por pouco não comprei o único Cobra II que existia em Macau, identico ao que ela conduzia na série.

A paixão claro, passou com a idade e com a saída dela de Charlie´s Angels, tive muita pena, ainda acompanhei algumas histórias da vida dela, mas o interesse pelas notícias cor de rosas já não eram as mesmas...mas a evolução da cara bonita a boa actriz foi conseguida, pois as ultimas séries e telefilmes que fez, fez com grande qualidade.

Já com o Michael, sinto uma nostalgia diferente, talvez porque ele tenha sido musico, talvez porque ele entrou nas nossas vidas desde sempre, desde os desenhos animados do Jackson Five, - os Jackson Five - , muita coisa se passava em volta daquela família de cantores e Michael era a paixão de muitos. Ele foi o all time favourite, ele entrava na nossas vidas através das suas canções, acompanhava-nos dia e noite nos bons e maus momentos, tanto as letras como as melodias e depois a coreografia eram um conjunto imbatívél que só a produção MJ sabia fazer. O moonwalk vai ficar na história com certeza com a marca MJ.

A vida não sorriu para este miudo de Gary, Indiana, a vida foi sempre dura no seio da grande família de credo Geovah, a música esteve sempre presente mas em vez de ser como arte era um meio de subsistência para o pai Joseph e desde sempre, tiveram que trabalhar muito e brincar muito mas muito pouco para poderem sobreviver um ambiente severo. Michael por ser um rapaz timido mas com um real dom para a musica, levava muitas vezes do pai por não apetecer fazer certas coisas, ma precisavam dele porque ele é que dava dinheiro. Viviam muitas vezes a fazer os concertos pelas estradas dos EUA fora, era cansativo, enquanto os irmãos aproveitavam da fama e tinham as namoradas e mulheres que queriam, Michael então com 13 anos continuava timido e não queria nada com o sexo oposto, o pai resolveu contratar uma prostituta para fazer o trabalho num quarto dum hotel, foi a viragem na mente de uma criança...o que este episódio o tornou depois penso que assistimos até ontem.


A maior paixão do Michael Jackson foi sem duvida a Diana Ross, com quem ele foi viver quando assinou pela Moutown, mas Diana via-o como um filho, todas as tentações das plásticas feitas por ele foi para se parecer com ela, mas claro com o tempo e com os vigaristas e os apoios que não tinha ele só foi piorando.

Confesso que era o fim que esperava, de morrer cedo, não poderia aguentar muito mais, Michael estava feito num oito, a mente estava completamente baralhada, já não dava para mais, não havia ninguém no mundo verdadeiro o suficiente para o ajudar sem interesse, só pelo seu bem estar e quando uma estrela está habituada a brilhar, a chamar a atenção, é muito dificil caminhar no escuro e ser simplesmente uma pessoa e viver o resto da vida.

Acredito que foi da maneira que ele quis que acontecesse...e vai ser da maneira que vai ser lembrado, com ou sem polémicas, a verdade é que ele é o REI DE POP!

Sem comentários:

 

As visitas em numeros

Ocorreu um erro neste dispositivo